VIVA DESATADO
TEXTO BASE: Jo 12

Nesta reflexão, vamos abordar as quatro fases da nossa vida cristã e a importância de passarmos por todas elas.

Analisando a ressurreição de Lázaro, vemos que a primeira fase na vida do cristão é a ENFERMIDADE (Jo 11,1). A humanidade caminha enferma sem Deus. Não há remédio humano para o pecado. Não há salvação fora da cruz. A cura está no reconhecimento do diagnóstico. Precisamos reconhecer que somos pecadores.

A segunda fase na vida do cristão é a MORTE (Jo 11,14). Lázaro morreu. O homem morreu no jardim do Éden. Mesmo ele tendo errado, Deus vai ao seu encontro. Em Cristo nós deixamos os nossos aventais e toda a nossa vergonha é restaurada. Estamos voltando para o lugar de onde não deveríamos ter saído.

A terceira fase na vida do cristão é a RESSURREIÇÃO COM ATADURAS (Jo 11,43). A ressurreição é uma realidade para os que estão em Cristo Jesus. Quando decidimos por Cristo, a obra da cruz está completa em nós. Espiritualmente a obra está completa, mas as vezes ainda há ataduras que precisam ser tiradas.

A quarta fase na vida do cristão é a COMUNHÃO SEM ATADURA (Jo 12, 9-11). A obra na vida de Lázaro foi completa, tanto que a bíblia narra que multidões os seguiam para ver Lázaro. Muitos estavam crendo em Jesus por causa do que havia ocorrido com Lázaro. Lázaro já não vivia mais com ataduras. Estava livre. Esse estágio é o que o Senhor quer que vivamos. “Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres” (Jo 8,36).

Agora vamos refletir com algumas perguntas:

1 – Nós estamos em qual fase da vida cristã?

2 – Já reconhecemos que somos pecadores e que precisamos do Senhor?

3 – Já passamos pela ressurreição, ou seja, já decidimos entregar nossa vida completamente a Cristo e viver uma nova vida com Ele?

4 – Se já ressuscitamos com Cristo, já conseguimos nos livrar das nossas ataduras?

Após a ressurreição de Lázaro, Jesus Cristo deu um comando: “Desatai-o e deixai-o ir” (Jo 11,44). Esse comando indica que as ataduras precisam ser retiradas. Embora espiritualmente a obra já tenha se completado, por vezes ainda há ataduras emocionais, físicas, relacionais e mentais que precisam ser gradualmente removidas. Essas ataduras podem ser situações traumatizantes do passado, hábitos pecaminosos que não foram vencidos. A obra do Senhor ainda está em andamento. As células, o discipulado e os cultos nos ajudam nesse processo de desatar ataduras.

Experimente viver uma vida cristã sem ataduras. Seja livre para viver plenamente seu chamado; que o seu viver seja para glorificar o nome de Jesus.