A graça salvadora

Texto base: João 3.1-21; Números 21.4-9 efésios 2.8

No último domingo nos foi ensinado sobre a maravilhosa graça de Deus e o quanto é essencial compreende-la da maneira correta para não cairmos na religiosidade e vivê-la diariamente para não vivermos aprisionados pelo legalismo.

1.Leia João 3.1-21. Esses versículos fazem parte de um diálogo que Jesus estava tendo com Nicodemos. Qual o foco de Jesus nesse diálogo? Como se obtém esse novo Nascimento?

Jesus ao conversar com Nicodemus revela que ninguém entra no céu se não nascer de novo, que significa um NASCER DO ESPIRITO, no qual o velho homem renuncia a sua antiga vida como pecador para que uma nova vida com Cristo se inicie, e as coisas velhas ficaram para trás (2 Co 5.17). A resposta de como se obtém o novo nascimento está nos versículos 14 e 15: “E, como Moisés levantou a serpente no deserto, assim importa que o Filho do homem seja levantado; Para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna”.

Primeiramente o versículo 14 nos fala de uma passagem de Números 21.4-9, no qual o povo de Israel no deserto se encontrava murmurando contra Deus, desprezando a liderança de Moisés e desprezando o maná, então o Senhor mandou serpentes venenosas para picá-los. Então Moisés orou pelo povo e Deus o mandou construir uma serpente de bronze para que todo aquele que foi picado e a avistasse, ficasse curado.

  1. Mas o que Jesus quis dizer com essa passagem? E o que tudo isso tem a ver com a graça?

Ocorre um comparativo entre a serpente de bronze e a salvação trazida por Cristo à humanidade, livrando-a de seus pecados pela morte na cruz e ressurreição, e tal como Moisés, que orou pelo povo e construiu a serpente de bronze para que seu povo fosse salvo, assim Jesus também se mostraria nosso salvador, intercedendo para que nossos pecados fossem perdoados.

A graça é encontrada em todo o contexto de João 3.1-21, principalmente por Jesus falar da necessidade do filho do homem (Ele) se levantar assim como Moisés para conceder a salvação para a humanidade. Assim percebemos a graça pura e simples: foi Deus quem nos concedeu, mesmo sem merecermos, é tudo por Ele e por meio dEle que alcançamos a salvação. Assim como aqueles que foram picados olharam para a serpente de bronze e foram curados, nós olhamos para o sacrifício de Cristo na cruz e vemos a salvação concedida pela graça de Deus e mediante a fé em Cristo Jesus (Ef 2.8).

3.O que acontece se eu não tenho entendimento dessa graça? Como desfrutá-la?

Antes da Cruz nos estávamos fadados a morte, mas Jesus Cristo veio salvar o homem que perdido, separado de Deus. Ou seja, basta que o pecador arrependido olhe para Cristo e receba a sua graça (novo nascimento). Contudo precisamos compreender e viver a graça verdadeira.

O primeiro passo é o reconhecimento de que tudo nos foi concedido gratuitamente, não foi por merecimento de nossas boas ações, ou pelo nosso esforço de viver uma vida íntegra, ou pela nossa capacidade de obedecer ao Senhor, afinal como escrito em Romanos 3.23: “Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus”, reconhecendo que somos pecadores e que precisamos da salvação. Por nos Amar Cristo, sem pecado, se entregou na cruz em nosso lugar e assim remiu os nossos pecados e nos concedeu a graça.

Outro fator fundamental é reconhecer a nossa dependência do Papai. Devemos nos tornar como crianças, humildes, que olham para a cruz com fé e arrependimento e vêem a incapacidade de vencer o pecado pela própria força, e entregam a sua vida completamente ao Senhor.

Por fim o entendimento e vivencia da graça é cada vez mais consistente e crescente a partir do relacionamento de intimidade com Deus, vivendo o verdadeiro evangelho e não uma religiosidade. Tudo o que o povo precisava fazer era olhar para Jesus. Olhai para Cristo é sejas salvo.

 

 

EQUIPE PALAVRA DA CÉLULA