A igreja vence as lutas com o amor fraternal

TEXTO BASE: Mt 24:4-13

A vinda de Jesus se aproxima e a Bíblia relata que antes deste grande evento haverá um tempo de grandes calamidades globais e muitas dificuldades para o povo de Deus. Nesta oportunidade, queremos evidenciar que a Igreja só subsistirá se estiver pautada no amor fraternal. Em Mt 24:4-13, aprendemos que:

 

– Devemos estarmos atentos pois será um tempo de enganos (v4-5).

– A adversidade global (guerras, epidemias, etc.) é apenas o início das “dores de parto” (v6-8).

– seremos odiados pelos simples fato de sermos cristãos. Haverá feroz oposição aos valores do evangelho (v9).

– Muitos desistirão da fé e haverá desentendimento entre os cristãos e surgirão inúmeros falsos líderes religiosos mal intencionados (v10-11).

– Haverá multiplicação da maldade e falta de amor generalizado. Um contexto mundial que também afetará o interior da igreja (v12).

A salvação (livramento) é para os perseverantes (v13). Devemos ser diligentes na oração, na Palavra e no amor para com Deus e para com o próximo. Se você for parar para analisar texto bíblico de hoje (Mt 24:4-13), verá que é algo profético, já temos vivido o início da “dores de parto”. E Jesus nos faz uma exortação para ficarmos atentos para não cairmos nos enganos próprios destes dias (v4) .

Para atender este alerta de Jesus, cabe a nós cristãos o exercício do amor fraternal um para com os outros. Nos tempos de dificuldade devemos ser canal de Deus para suprir os que necessitam de estabilidade espiritual, emocional e material. Amar é fundamental. O amor ao próximo é uma evidência que se manifesta na vida de um verdadeiro cristão (1 Jo 4:19-21). Há diversos textos bíblicos em que os apóstolos estimularam o desenvolvimento do amor fraternal no seio da igreja (textos complementares).

Amor este que se torna essencial em tempos de adversidade e perseguição. O amor fraternal é bálsamo de Deus  para a igreja no tempo do fim. O amor fraternal é refrigério para que os santos perseverem. Em 1 Ts 5:14 encontramos ações que são  expressões do amor fraternal. Quem ama cuida, exorta os que estão se desviando da rota, anima os desesperançosos, cuida dos que estão se sentindo fraco. Usa de paciência para com todos. A igreja (membros) deve tecer uma teia de proteção para podermos passar pelo dia mal.

 

Reflexões:

1) Em apocalipse 22:17 relata uma noiva que se preparou e clama pela vinda do noivo. Estamos desejosos pela Sua vinda? Você já parou para pensar que Jesus está voltando? Temos vivido como peregrinos nesta terra, ou estamos ainda muito apegados com as coisas deste mundo?

 

2) Diante de tanta maldade o amor de muitos tem se esfriado. Até mesmo a igreja corre o risco de estar insensível  com a dor do próximo. O que a nossa célula poderia fazer para demonstrar mais amor para com os membros deste pequeno grupo, para com nossos amigos e/ou vizinhos? Como poderíamos, de alguma forma, atender as necessidades espirituais, emocionais e materiais destas pessoas?

 

3) Diferente de países da África e Ásia, no Brasil não é noticiado violência física a cristãos. Mas no campo ideológico são constantemente afrontados os valores cristãos, família, sexualização precoce das crianças etc. Um cristão ao se posicionar como tal, certamente receberá críticas. Mas não podemos nos calar! Você já sentiu receio em compartilhar da sua fé, pregar o evangelho ou defender os valores do Reino?