O cristão e os três conflitos à vencer!
TEXTO BASE:  Ezequiel 36:26,27

Quando alguém se converte verdadeiramente a Jesus, em total rendição à graça divina, acontece uma obra espiritual transformadora no seu íntimo, a troca de coração. É retirado o coração insensível às coisas de Deus. Antes não tínhamos alegria em realizar a vontade de Deus, pois não tínhamos um coração adequado. A vontade de Deus era a santidade, mas eu era escravo do pecado, inapto para tal obra. Mas quando você passa a ter um coração novo, sendo habitação divina, há desejo em praticar a Sua vontade e repulsão pelas coisas que O entristecem. Então passamos a ser nova criatura (2 Co 5:17). É impossível alguém “está em Cristo” mas não experimentar uma transformação de vida, é incompatível viver com os mesmos pensamentos e atitudes do mundo. Como posso ter certeza do meu novo nascimento? Após passar pelo novo nascimento vivenciamos três conflitos:

1) O conflito interior.

Quando não tinham Jesus em nossas vidas, esse conflito não existia pois vivíamos para agradar a nós mesmos (natureza terrena). Mas agora que somos habitação de Deus, a nossa nova natureza entrará em conflito com a antiga. Para nós cristãos essa antiga natureza que continua a existir é detestável. Veja que o apóstolo Paulo fala dela em Cl 3:5-10 e Gl 5:16-17. Vivenciarmos este conflito é um indício que pertencemos ao Senhor. Mas o cristão vencedor é dominado e governado pelo Espírito, ele vence a carne e gera frutos digno de arrependimento.  O ímpio não vive este conflito porque ele não tem a nova natureza para se opor. O pecado para eles é algo natural.

2) O conflito com o mundo.

Leia 1 Jo 2:15-16. O que é o sistema mundano? As religiões, as filosofias, estilo de vida sem Deus, a vida centrada no próprio interesse, egoísmo, vaidade, ganância amor ao dinheiro, satisfação dos desejos carnais, etc. Como podemos vencer o conflito com o mundo? Somente fé em Cristo (1 Jo 5:4,5). Em Jo 15:19 diz que se fossemos do mundo, o mundo nos amaria. Como não somos por isso nos odeia. Quem é cristão de verdade terá problemas com o mundo, haverá algum nível de perseguição, pois não vai compartilhar com suas práticas. Se há um “cristão” que tem prazer nas coisas que o mundo se alegra, há algo muito errado com ele. A proposta do evangelho não é para ter uma vida monástica (abdicação de uma vida social),  mas sim ser sal e luz no mundo. Como embaixadores de Cristo somos influenciadores e não influenciados. Também este conflito é marca de salvação.

3) O conflito contra o próprio satanás.

Quando nos convertemos viramos alvos do inimigo. Mas a grande verdade é que o diabo nada pode contra nós, pois Cristo já o venceu na cruz!. A não ser que a gente der lugar a ele. Como derrotarmos o diabo? Não podemos dar lugar ao diabo. Em Tiago 4:7 é dito que devemos resistir ao diabo, mas não na nossa força, mas sim submetendo-se a Deus. É na sujeição a Deus que a autoridade espiritual do cristão é legitimada. Como podemos nos fortalecer para vencer estes três conflitos? Nos cabe cultivar a presença de Deus que em nós habita para que sejamos fortalecidos, dirigidos, cheios de fé, resistentes ao mal. Cultive o espírito acesso dentro de você através de uma devoção pessoal diária ao nosso Deus (1Ts 5:19).

Conclusão:

A solução para estes três conflitos têm algo em comum: não vem da força humana. A nova natureza em Cristo é feita vencedora na medida que dependemos de Cristo.