SALVAÇÃO E RENÚNCIA

TEXTO BASE: Mt 19.16-22

Nesta lição, aprendemos que a salvação depende da nossa fé, depende de crermos que Jesus é nosso Senhor e nosso Salvador. Mas o evangelho requer que a salvação venha acompanhada de renúncia. Jesus requer de nós um compromisso mais profundo.

O que eu e você precisamos fazer para ganhar a vida eterna?

Na história do jovem rico, registrada em Mt 19.16-22, vemos que o desejo do jovem era legítimo e verdadeiro, ele teve a atitude correta, foi humilde, procurou a pessoa certa (Jesus) e fez a pergunta certa. Vemos, porém, que não basta querer a vida eterna, não basta querer ir para o céu. O evangelho não salva quem não entendeu que precisa obedecer, abrir mão das suas vontades, assumir um compromisso sincero e genuíno com o Senhor.

O evangelismo tem como objetivo levar a pessoa à situação do jovem rico (momento de desejar a vida eterna). Mas, se queremos entrar na vida eterna, precisamos também guardar os mandamentos do Senhor, ou seja, sermos diligentes na caminhada cristã de forma a andarmos atentos e vigilantes, comprometidos com a Palavra de Deus (Jo 14.21), ir e não pecar mais, se desviando do mal, guardando o coração e a mente de desejos e motivações erradas (Jo 8.11).

Por que muitos aceitam e abandonam o evangelho?

Jesus vai mais profundo e toca na ferida do jovem rico (Mt 19,21). Era preciso haver renúncia. Vida eterna também inclui dizer não para o que durante muito tempo nos dominava (desejos e práticas pecaminosas). Jesus não deve ser apresentado só como alívio para dores, mas como o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo e nos livra do jugo do pecado. O pecado não pode nos dominar mais.

O jovem voltou triste para casa e sem a vida eterna. Não quis negar-se a si mesmo. Muitos aceitam e logo abandonam o evangelho porque até aceitam Jesus como Salvador, mas não o aceitam como Senhor, não aceitam que Jesus exerça o Seu senhorio em todos as áreas da sua vida.  

E você está disposto a renunciar a sua própria vontade em prol do evangelho de Jesus Cristo?

O jovem não quis se submeter. O mesmo desafio é lançado para nós. O verdadeiro evangelho requer que abramos mão das nossas riquezas (que nesse contexto simboliza tudo aquilo  que ocupa o primeiro lugar em nosso coração, o que damos mais valor). Aquele que não renuncia a tudo quanto tem não pode ser discípulo de Cristo (Lc 14.33). Aceitar Jesus tem implicações. Precisamos aceitá-lo de coração inteiro, sem restrições, de dentro para fora. Só assim experimentaremos vida abundante aqui na terra e vida eterna no céu.