Tema: SEJAMOS ÁVIDOS PELA PALAVRA

Texto: Atos 17 : 10-13

Textos complementares:  Mt. 7. 21-23; 2 Tm 2. 15; 1Ts 5.21; 1Co 8.1

  1. Paulo fez três grandes viagens missionárias. Vamos falar um pouco mais da segunda peregrinação do Apóstolo:

Começou por Jerusalém. De onde, Paulo levou Silas para visitar as igrejas da Galácia novamente. O jovem Timóteo se juntou a eles em Listra. Daí, foram para a Macedônia e Acaia, a Grécia atual. Nessa viagem, o carcereiro de Filipos e toda a sua família foi salvo, os crentes de Beréia “todos os dias estudavam as escrituras Sagradas” (At. 17.11) e Paulo pregou no Aerópago em Atenas. Depois o grupo instalou-se em Corinto por um ano e meio. No entanto, o que chamou a atenção de Lucas (escritor de Atos) foi o prestígio dada às Escrituras pelos crentes em Beréia. Este fato nos faz refletir: Qual importância que a igreja atual dá as escrituras?

  1. Aprendemos que o povo de Beréia eles “agarraram” a palavra apaixonadamente. Será que temos tornado a palavra como algo comum na nossa vida?

Em relação a relevância das Escrituras em nossas vidas, vemos em Mt. 7: 21-23 que os novos-nascidos são aqueles que fazem a vontade de Deus praticando os preceitos bíblicos. Não devemos apenas ser ouvintes, mas também devemos meditar e agir, dia-a-dia, baseados na palavra de Deus. Leia  2 Tm 2: 15.

  1. Você tem fome pela palavra? Porque você não medita nela todos os dias? Assim como um recém-nascido busca pelo leite materno. Ver 1 Pe. 2:2.

Meditar na Palavra é remédio, é alimento, é cura, é fortaleza, é fervor e muito mais. É o segredo para uma caminhada de vitória. Se escolhermos trilhar este estilo de vida, vale a pena ressaltar alguns alertas: cuidado para não “engolir” destoa da Palavra; cuidado para não sermos críticos doutrinários frios e soberbos (1Ts 5.21); cuidado para não se achar o dono da verdade (1Co 8.1)

Conclusão: o Ensino correto da palavra produz conversão (1Co 3.5; 1 Jo 2:27; 2 Pe 1: 3,4; Jo 14:26), e deve ser fiel as verdades reveladas no texto sagrado. Nossa avidez pela palavra de Deus, isto é, nossa devoção e zelo pelo texto sagrado deve produzir uma recepção criteriosa daquilo que é ensinado nos púlpitos e nos demais meios de comunicação. Atualmente, existem inúmeros ventos de doutrinas e práticas religiosas que simplesmente afrontam o ensino básico do evangelho de Cristo. Muitos são os que são enganados e se deixam levar por discursos místicos ou de “prosperidade” (restritamente material) que em nada acrescenta à piedade cristã. Mas do que nunca precisamos ser como os bereanos e conferir nas Escrituras o que ouvimos por aí.

EQUIPE DA PALAVRA DA CÉLULA